quinta-feira, 25 de outubro de 2018

the middle

Todos os dias, você acorda e tem uma possibilidade enorme de caminhos a serem seguidos, seja por escolhas ou por deixar que a vida lhe leve em um fluxo automático. 

Toda a nossa vida é pautável em mutabilidade, em como a forma como lidamos com as possibilidades diárias nos leva a estradas totalmente diferentes àquelas que antes pensávamos ser o caminho certo a ser seguido. 

Nós estamos, o tempo inteiro, causando mal às pessoas, mesmo que, de forma indireta, seja por atitudes errôneas, seja por falta de discernimento ou seja apenas por mera irresponsabilidade nossa. E, na maioria das vezes, acabamos por não mensurar a gravidade de nossas ações ao longo do tempo, pensamos que se talvez o outro aguente, não há motivos de pararmos por ali. 

Temos hábitos de não medirmos as consequências de nosso atos, ou de sequer cogitar em como nossas atitudes implicarão sentimentos negativos nos outros. Entretanto, como num ato de despertar abruptamente, acabamos por perceber o momento exato de nosso erro: quando a pessoa tende a sair de nossas vidas e passa a caminhar por outros lugares, com outras pessoas. 

Felizmente, em alguns casos, somos agraciados com novas chances de nos tornarmos pessoas melhores e corrigirmos nossos erros antes que o seja tarde demais.

terça-feira, 15 de maio de 2018

a dor intrínseca

Já faz quase um ano em que não escrevo para você ou sobre você. Talvez eu tenha aprendido a lidar com a sua ida, sua ausência e tenha me despedido completamente de você, tornando meu ser incapaz de notar que a sua vida deixou de fazer parte da minha.

Estaria eu, durante todo esse tempo, apenas afastado toda dor, toda a saudade, como se  nunca sequer tivesse lhe conhecido? Olho para trás e noto que você teve uma parcela significativa em tudo o que me tornei e o que sou hoje, se naquele junho eu não tivesse dado o pontapé inicial e te permitido adentrar meu ser, nossas vidas teriam tomado um rumo completamente distinto e por isso e tantas outras coisas, eu sou e serei eternamente grata por cada experiência, cada ensinamento, cada momento em que você partilhou e fez questão de que eu aprendesse. 

E às vezes doi, sabe? Mesmo depois de tanto tempo, ainda doi aqui no fundo de relembrar todo momento que fora deixado para trás e que hoje já não passa apenas de uma mera lembrança.

(texto em construção apenas como borrão de pensamentos aflitos numa noite gelada)

sábado, 10 de junho de 2017

Você me salvou

Leia ao som de:



Essa é não é uma carta de despedida, mas de agradecimento, por todas as coisas boas que passamos juntos, por tudo aquilo que você me proporcionou.

Não vou negar, tua imagem se forma em minha cabeça todos os dias, desde a hora em que eu acordo, até a hora em que vou dormir. Talvez seja "só" a perda ou "só" a saudade falando, mas só isso não gritaria tanto em meu peito. Não vou negar também que anseio pela sua volta, mesmo que isso custasse a minha própria vida.

Desde a primeira vez em que te vi, ali, sentado e com aquele sorriso maravilhoso - capaz de iluminar uma cidade inteira - eu sabia que era amor, mesmo que desacreditasse em amor à primeira vista -. 

Você nunca soube de fato toda a minha trajetória até te conhecer, mas no momento em que te conheci, havia uma imensa bagunça dentro de mim e você me salvou, mesmo sem saber, você trouxe luz pra minha vida que até então eu desconhecia que isso poderia acontecer. Eu ansiava por aqueles 15 minutos de intervalo, pela hora em que eu finalmente conseguiria te ver e aquilo melhorava meu dia absurdamente. Ao chegar em casa eu só desejava que o dia passasse rápido pra te encontrar novamente. 

E todas aquelas madrugadas ao telefone, você lembra? Era como se toda a minha fé, toda a minha felicidade estivesse em apenas uma ligação e de fato, estava, eu não via a hora da noite ruir pra escutar sua voz novamente, como se estivesse ali, ao meu lado, era o nosso ritual, era o ápice dos meus dias.

Você se foi, por mais que depois de tantos meses eu ainda me recuse a acreditar, deixando em mim tantas coisas enraizadas que é quase impossível me desvencilhar de você. Sabe quando alguém entra em sua vida e te acrescenta tantas, mas tantas coisas que você só quer agarrá-la ao ponto de impedi-la de ir? Você foi assim pra mim, eu te deixei escapar por entre meus dedos e se eu soubesse, teria feito ficar.

Eu errei em tantas coisas que se fosse contar, faltariam dedos, só não errei ao amar você e se eu tivesse a chance, teria feito tudo novamente, mas reescreveria a história de forma que você nunca tivesse ido e nunca tivesse me deixado partir.

Você trouxe luz pra minha vida quando escolheu ficar, lembra dos abraços infinitos em que eu te dizia que era ali que eu queria habitar, que era o melhor abraço do mundo e eu só me sentia protegida de todas as coisas ali dentro? Você trouxe luz pra minha vida quando em nas minhas inúmeras crises de choro você me olhava com esses seus olhos puxados, me puxava pra mais perto e dizia que tudo ficaria bem, que você estaria ali pra mim, mesmo quando ninguém mais estivesse.

Você foi o meu sol quando eu tinha medo de andar pelas ruas e você escolhia me fazer companhia, com medo de que algo me acontecesse. Você foi o meu sol quando me deixou adormecer em seu peito e acariciou lentamente meus cabelos. Ali era amor, ali foi amor. Você me deu todo o amor que você era capaz de dar e eu te dei todo o amor que era capaz de sair de mim.

Mas você se foi.

A sua ida dilacera meu peito todas as noites de insônia desde a sua partida.
Não há um dia sequer que eu não deseje estar em seus braços e seus abraços novamente.

All Rights Reserved ©